PECADORES CONFESSOS...

domingo, 25 de julho de 2010

Tear


Quando penso em você
Penso em chuva ao entardecer
Ouço um som de riso triste
Um quê de não existe, não ser.

Quando penso em você
Penso em verso, distante,
Não sei dizer, é como um grito,
Impávido infinito, gigante.

Quando penso em você
Penso em areia entre os dedos
Vejo o mal que me fiz, o medo,
E se eu fui feliz, não lembro.


Claudinha Monteiro

Share/Save/Bookmark

6 comentários:

Fábio disse...

Valeu a visita minha querida... estou aqui na área hein.. otima semana..

Rosemildo Sales Furtado disse...

Oi Claudinha! Fiquei muito feliz com a tua visita e, principalmente, por teres te tornado seguidora do nosso humilde espaço. Isso somente aumenta a minha responsabilidade de melhorar tudo aquilo que crio e escrevo. Espero que voltes mais vezes, pois será sempre um prazer renovado. Eu, com certeza, aqui voltarei mais vezes, pois me fiz teu seguidor.

Quanto ao post, belo poema, adorei, porém, se eu estivesse no teu lugar, faria tudo pra não pensar. Rsrs.

Beijos e ótima semana pra ti e para os teus.

Furtado.

Ives disse...

Essas lembranças rsss! pois é, ñ deixo muito tempo meus textos, sei lá, ñ gosto muito, pq cada um é um pedaço meu e deixa exposta é como se eu estivesse nu! abraços

REGGINA MOON disse...

Claudinha,

Grata por sua visita, estava em férias...e já com saudades!

Belíssimo verso, seu Blog é perfeito!!!Parabéns!!!

Grande beijo e ótima semana!!

Reggina Moon

Visite:
www.ouniversovirtual.blogspot.com

*Mundo Particular* disse...

LInda poesia. Tenha uma excelente semana!!

Cacau Loureiro disse...

Ainda acho que pior que a dor por ter amado é a dor por não ter sido e não ter se deixado amar... E se eu vivi intensamente o amor e sofri, eu lembro, mas se eu fui feliz, já não mais quero lembrar... rs, beijo!

Related Posts with Thumbnails