PECADORES CONFESSOS...

sábado, 27 de fevereiro de 2010

MULHERES DE SHAKESPEARE Vol. III ...



Eis a história de um rei triste
que, soberbo e tolo, insiste
num jogo de poesia
veja que triste a ironia
cada verso de palavras
prontamente recompensava
com suas terras, sua alegria.

Eis que um reino é dividido
pelas flechas do cupido
pelos sons que o vento leva
e o amor o rei espera
e belas historias, sinceras
e sorrisos e quimeras

Eis que duas de suas crias
donas do verbo, da fantasia
viram filhas devotadas
com suas garras afiadas
sob vozes de puro doce
e o rei, bobo da corte
se engana, se enfastia
por duas falsas melodias

Depois de empobrecido
desenganado, enlouquecido
o velho pela terra vagueia
e a luz que o clareia
é a da filha cuja rima
é que versa maior estima
mas a aparência ressentida
é deserdada, preterida
é a vida, é a vida

Eis que o final da jornada
é o fim, a morte, o sacrifício
é o corpo, a mente, o suplicio
é o tardio entendimento
e no trágico arrependimento
nada muda, nada existe
é só o tempo que resiste
só o escárnio, e o sofrimento.

by Claudinha M.

Share/Save/Bookmark

Nenhum comentário:

Related Posts with Thumbnails