PECADORES CONFESSOS...

domingo, 6 de dezembro de 2009

ELAS POR ELES N. 4 - William Shakespeare (1)



The Dark Lady Sonnets
William Shakespeare (1524 - 1608)

Sonnet 130

My mistress' eyes are nothing like the sun;
Coral is far more red, than her lips red:
If snow be white, why then her breasts are dun;
If hairs be wires, black wires grow on her head.
I have seen roses damasked, red and white,
But no such roses see I in her cheeks;
And in some perfumes is there more delight
Than in the breath that from my mistress reeks.
I love to hear her speak, yet well I know
That music hath a far more pleasing sound:
I grant I never saw a goddess go,
My mistress, when she walks, treads on the ground:
And yet by heaven, I think my love as rare,
As any she belied with false compare.

Minha tradução:


Soneto 130

Aquela que eu amo não tem o sol no olhar
Também seus lábios não são tão vermelhos
Se a neve é branca, por que seu seio amorenar?
E se pelos são fios, fios pretos são seus cabelos.
Já vi rosas rubras, brancas e adamascadas,
Mas nunca em suas faces vejo tais flores
E algumas essências são mais adocicadas
Aquela que eu amo não exala tais olores.
Eu adoro ouvi-la falar, mas eu sei ao certo
Que há mais prazer no som de uma canção
Eu nunca vi uma deusa passar de perto
Minha amada, quando anda, estremece o chão.
E no entanto meu amor é tão raro, posso jurar
Quanto qualquer falsa musa que a ela se comparar.

Share/Save/Bookmark

Nenhum comentário:

Related Posts with Thumbnails