PECADORES CONFESSOS...

domingo, 7 de novembro de 2010

ESSÊNCIA


É a alma, é a alma
Este torto desembaraço
Este senso incontido
Esta calma
que não faz sentido
é a alma,é a alma
é o perigo…
ou este abismo
de silêncio vivido
é um verso antigo
este cinismo
que encarna
que repele
que não abandona o abrigo
é a alma, é a alma
este fosso, este Karma
este inimigo.

Share/Save/Bookmark

5 comentários:

Antonio José Rodrigues disse...

O melhor, Claudinha, é a gente compactuar com os desejos da alma, pois, assim, viveremos em serena harmonia. Resistir a essência interna provoca dualidade e intrigantes interrogações. Beijos

Noyara disse...

E de alma todos sentimos...
M nunca entendemos...

Beijos flor

Rita Madeira disse...

Oi Claudia - é verdade - são coisas da alma, que transcendem, nos desperta para o nosso lado celestial - e é na alma que mora a calma, pois só quem a cultiva neste mundo, se salva, pois é na alma que o corpo descansa as suas dores, desamores e dissabores.
Abraço
Rita Madeira

Neca disse...

Ai, ai... lembrei do trechinho de uma música...

You can't feel anything that your heart don't want to feel.

Alguma dúvida de que isto é peripécia de um amor que fez casa na alma?

Smackkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkssss!

Jaqueline Zanetti disse...

Olá rara,

Adorei seu blog em especial esse poema. Escrevi um texto com esse tema, e convido você a lê-lo em:

http://rotapsicodelica.blogspot.com/2010_07_01_archive.html

Parabéns pelo seu blog, lindo e intenso.

Beijos e flores

Related Posts with Thumbnails