PECADORES CONFESSOS...

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Série ELAS POR ELES N. 3



Annabel Lee
Edgar Allan Poe (1809-1849)

It was many and many a year ago,
In a kingdom by the sea,
That a maiden there lived whom you may know
By the name of Annabel Lee;
And this maiden she lived with no other thought
Than to be loved and to be loved by me.

I was a child and she was a child,
In this kingdom by the sea:
But we loved with a love that was more than love-
I and my Annabel Lee;
With a love that the winged seraphs of heaven
Coveted her and me.

And this was the reason that, long ago,
In this kingdom by the sea,
A wind blew out of a cloud, chilling
My beautiful Annabel Lee;
So that her kinsmen came
And bore her away from me,
To shut her up in a sepulchre
In this kingdom by the sea.

The angels, not half as happy in heaven,
Went envying her and me-
Yes! - that was the reason as all men know
(In this kingdom by the sea)
That the wind came out of the cloud by night,
Chilling and killing my Annabel Lee.

But our love it was stronger by far than the love
Of those who were older than we-
Of many far wiser than we-
And neither the angels in heaven above,
Nor the demons down under the sea,
Can ever dissever my soul from the soul
Of the beautiful Annabel Lee.

For the moon never beams without bringing me dreams
Of the beautiful Annabel Lee;
And the stars never rise but I see the bright eyes
Of the beautiful Annabel Lee.
And so, all the night-tide, my life and my bride,
In her sepulchre there by the sea-
In her tomb by the side of the sea.


Abaixo, a tentativa de tradução desta humilde poeta:

Há muitos, muitos anos atrás
Em um reino ao pé do mar
Uma jovem dama vivia no cais
Annabel Lee, como deves lembrar
E ela queria não muito mais
Do que por mim saber-se amar.

Eu era jovem e também ela,
Neste reino ao pé do mar
Mas nós nos amamos além do amor
Minha Annabel Lee e seu par
Com um amor que alados serafins
A ela e a mim vieram invejar.

E foi por isso que, tempos atrás
Neste reino ao pé do mar
Uma nuvem soprou forte, e congelou
A bela Annabel Lee, meu par
E então seus nobres a levaram
Para longe de mim ela ficar
Para num sepulcro ela se fechar
Neste reino ao pé do mar.

Os anjos, não mais felizes no céu
Continuaram a nos invejar
Sim! - e foi por isso como se sabe
(Neste reino ao pé do mar)
Que um vento soprou o frio da noite
Matou Annabel Lee, meu par.

Mas o nosso amor e o amor
Dos mais velhos, dos mais sábios
Não se pode comparar
E nem os anjos em cima no céu
Nem os demonios no fundo do mar
Podiam a minha alma e a alma
Da bela Annabel Lee, apartar.

Porque a lua não passa sem que me faça
Com a bela Annabel Lee, sonhar.
E o céu não lampeja sem que eu veja
De Annabel Lee o belo olhar.
E assim, toda negra maré
Minha vida e minha mulher
Estão no sepulcro ao pé do mar
No seu luto ao pé do mar.
Share/Save/Bookmark

Um comentário:

Alessandra R Souza disse...

Oi Claudinha!!
Adorei seu blog, ele é completo, contém poesia, citações, imagens, muito lindo mesmo!!
Concerteza irei divulgá-lo, principalmente entre meus amigos do curso de Letras, sem dúvida eles se tornarão seguidores.
Trabalho em uma indústria que também não condiz com o curso de Letras, e pelos mesmos motivos que você...
Mas,o importante é não deixar-mos morrer o nosso amor pela leitura, né!
Também gosto de Edgar Allan Poe.
Parabéns!!

Related Posts with Thumbnails